Por / 29th abril, 2014 / Roteiros / Desligado

Igreja Sao Francisco de Assis

Declarada em 2009 uma das sete maravilhas de origem portuguesa no mundo, a Igreja São Francisco de Assis é considerada uma das mais belas obras-primas do barroco mineiro. Construída em 1766, o artista Aleijadinho foi responsável pelo medalhão da fachada e o lavabo da sacristia, obra elaborada com pedra-sabão que conquista olhares pelos ricos detalhes e perfeição.

Considerada como uma das raras construções em que o projeto, a talha e as esculturas são de responsabilidade de um mesmo artista, isso proporciona harmonia à obra. É importante destacar o trabalho realizado por Mestre Athaíde no forro da igreja, ao utilizar a técnica denominada ‘trompe l’oeil’, criada pelo padre italiano Andre Pozzo, que estabelece um jogo com colunas e parapeitos ao redor da igreja, criando a ilusão de ótica de que o teto se projeta para o infinito, assemelhando-se ao céu.

A igreja é considerada um marco da terceira fase do barroco mineiro, apresentando como características forte proximidade com o rococó, estilo que esteve em voga na Europa. Apesar disso, a arquitetura da obra não se restringe a copiar os estilos europeus, mas ganha destaque pelo trabalho artístico singular. A nave, capela-mor e sacristia são exemplos disso, apresentando proporções harmônicas e ornamentação sóbria.

Dentro da igreja a luz é difusa, as quatro janelas do coro ajudam a projetá-la em direção ao teto da nave central, obra pintada pelo Mestre Athaíde. Os púlpitos instalados no arco-cruzeiro geram uma excelente articulação dos espaços.

A Santíssima Trindade, apresentando a virgem ao centro, é considerada uma peça de grande valor escultórico pelo fato de destacaram-se na imagem as expressões faciais e os efeitos dos olhos, elementos característicos das obras de Aleijadinho. Além disso, a lua crescente com as pontas para baixo é reproduzida também no forro elaborado pelo Mestre Athaíde, estabelecendo assim uma forte relação entre a escultura e a pintura.

Os púlpitos, portadas e lavatórios da igreja são apontados como obras maiores da escultura em pedra sabão. O historiador de arte, curador e restaurador Germain Bazin declarou que é de se surpreender que a realização mais perfeita do rococó português tenha sido feita no Brasil e não na metrópole.

Restauração

Em setembro de 2001 foi concluída a restauração de diversas áreas da construção como do altar-mor, ameaçado por infiltrações, que apresentou as pinturas e ornamentos refixados. Outras obras de restaurações foram realizadas também nos seis altares laterais da igreja que tiveram suas cores originais recuperadas com retirada da sujeira presente na madeira, parte do assoalho que estava apodrecido foi trocado por peças feitas a partir das técnicas originais e foram colocados novos trincos, fechaduras, filtros solares nas janelas, sistema de som e alarme contra incêndio.

Por isso, ao conhecer Ouro Preto inclua essa grande obra-prima da arte barroca no roteiro da sua viagem!

Fontes: Enciclopédia Itaú Cultural 

Cidades históricas brasileiras