Por / 10th novembro, 2014 / Roteiros / Desligado

matriz nossa senhora nazare ouro preto

Foto: Leo Homssi

12 anos após o pedido de vistoria e restauração, a Matriz de Nossa Senhora de Nazaré, considerada a “joia do barroco mineiro”, finalmente foi aberta ao público novamente.

Em 2002, foi enviado um pedido ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional solicitando uma vistoria na igreja, que apresentava alguns problemas, com grande risco de incêndio.

A comunidade de Cachoeira do Campo se envolveu diretamente na busca pela restauração da Matriz de Nossa Senhora de Nazaré, carinhosamente chamada de a “joia do barroco mineiro”. Pessoas de outras religiões e crenças apoiaram a causa, pois a igreja é um monumento que carrega grande valor cultural e histórico.

As obras só começaram em 2012 e demoraram cerca de 2 anos para se completar. O morador do distrito e um dos responsáveis pelo documento, Rodrigo Gomes, afirmou para a imprensa que muita gente lutou pela restauração e para ver a igreja pronta. No dia 29 de agosto de 2014, a Matriz de Nossa Senhora de Nazaré retomou suas atividades normais, que teve seu retorno antecedido por 3 dias de muita festa, com a realização do Terço dos Homens e apresentações da Orquestra Ouro Preto e do Coral Canarinhos de Itabirito.

Sobre a igreja:

A Matriz de Nossa Senhora de Nazaré foi construída aproximadamente em 1725. Seu estilo de construção é o Nacional Português, da primeira fase do Barroco Mineiro. O autor do livro As Igrejas Setecentistas de Minas, Paulo Krüger Corrêa Mourão, considera que não há nada mais harmonioso e impressionante do que aquele conjunto de arcos concêntricos trabalhados, dando a impressão típica do barroco – o sentimento da majestade, da grandeza, do luxo e da magnificência.

Horários de missas:
• No segundo sábado do mês, às 19h.
• Todos os domingos, às 8h e às 19h.

Infomações:
(31) 3553-1796 (Escritório Paroquial), no horário comercial.

Venha conhecer essa joia do barroco mineiro!

Fonte: http://www.ouropreto.com.br/canal/artigo/a-joia-do-barroco-mineiro